Preso pela PM em Bonito, acusado revela nome de comparsa que matou Paulo Buchanelli

Na Delegacia de Polícia Civil da Comarca, onde está preso, o rapaz contou detalhes do crime, mas disse desconhecer o paradeiro e o nome completo do comparsa, que segundo ele, responde por Diego.

17/02/2018 às 17:53:00
Welissom Sanches Fragozzo, de 21 anos, durante atendimento médico em Bonito. - Divulgação

Ainda sob custodia das forças policiais da cidade de Bonito, distante 227 km de Sidrolândia, o carioca Welessom Sanches Fragoso, de 21 anos, descreu o comparsa que segundo ele, foi quem entrou em luta corporal e matou o empresário, Paulo Cesar Buchanelli, de 48 anos, no inicio da tarde da última quinta-feira (15) durante assalto em frente à agência do Banco do Brasil.

Na Delegacia de Polícia Civil da Comarca, onde está preso, o rapaz contou detalhes do crime, mas disse desconhecer o paradeiro e o nome completo do comparsa, que segundo ele, responde por Diego. Welessom foi preso no inicio da tarde deste sábado (17) quando se preparava para fugir da cidade.

Durante entrevista concedida ao RN por telefone, o tenente coronel Luciano Spindola da Silva, comandante da 1ª Companhia Independente da Polícia Militar de Bonito, revelou que o acusado estava sendo monitorado pelos policiais. Informações davam conta de que ele teria buscado refugio na residência de um irmão.

“Capturamos quando resolveu sair de casa para fugir”, relata Coronel Luciano ao detalhar a prisão. Welessom estava em companhia de uma jovem menor de idade (15 anos) quando foi preso. Tentou fugir, mas acabou dominado pelos policiais que efetuaram um disparo de arma de fogo que atingiu o braço esquerdo do rapaz.